Projetos Implantados

Órion Parque: Pólo de Tecnologia e Inovação

Órion Parque: Pólo de Tecnologia e Inovação

Inaugurou no dia 24/06, o Centro de Inovação de Lages Luiz Henrique da Silveira, primeira obra do Órion Parque, cuja missão é promover a cultura inovadora e empreendedora, conectar pessoas e capacitar os agentes de inovação. Este, construído em Lages, é o primeiro dos 13 Centros de Inovação e Tecnologia de Santa Catarina e o único a ser inaugurado este ano.

Cerca de 500 pessoas prestigiaram a solenidade que reuniu empresários, políticos, lideranças, imprensa e a comunidade de Lages e região. Para marcar a ocasião, o descerramento da placa foi feito por um robô do IFSC de Lages. A máquina é um braço mecânico comprado de uma empresa sueca de tecnologia de energia e automação. O equipamento é utilizado nas aulas dos cursos técnicos de Mecatrônica e de Eletromecânica do instituto e foi emprestado especialmente para a inauguração do Orion Parque.

Para homenagear e reconhecer os serviços prestados pelo ex-governador e ex-senador Luiz Henrique da Silveira, no setor de Tecnologia e Inovação, a Câmara de Vereadores de Lages aprovou por unanimidade o projeto de lei do Executivo lageano que deu ao Centro de Inovação o nome Luiz Henrique da Silveira.

O Centro de Inovação, que é o prédio central dentro do Órion Parque, tem cerca de quatro mil metros quadrados de área construída, com capacidade para abrir cerca de 40 empresas, centro de pesquisa e desenvolvimento, auditório com capacidade para 400 lugares (podendo ser transformado em salas menores através de divisórias), salas para treinamento, praça de alimentação, áreas de convivência, estrutura de apoio e o Museu de Tecnologia.

A obra foi implantada em uma área total de 90 m², localizada ao lado do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), no bairro São Francisco. Reunirá em um mesmo espaço uma unidade da Faculdade de Tecnologia da Informação do SENAC, empresas da área de tecnologia e inovação, escritório de projetos com o intuito de auxiliar as empresas na captação de recursos para realização de projetos e espaço para desenvolver pesquisas avançadas na área tecnológica.

Entre os principais objetivos do Instituto estão a cooperação entre universidades, empresas, organizações governamentais e não governamentais e agências de fomento de forma a estimular a inovação e melhor qualidade de vida para a sociedade em geral. A administração será feita pelo Instituto Órion, que possui um Conselho Administrativo formado por 13 membros representantes de instituições de ensino, governo e empresas ligadas à tecnologia.

 

Como surgiu o Órion Parque

O projeto de um Parque Tecnológico para nossa região surgiu através de um grupo de empresários da área de tecnologia, que apresentou a ideia para a diretoria da ACIL. Além de apoiar a iniciativa, a entidade criou o Núcleo de Tecnologia e Inovação, com o intuito de dar suporte a esta proposta, focando na estruturação e elaboração de um projeto.

Em 2009, a ACIL solicitou ao Departamento de Arquitetura da Universidade Federal de Santa Catarina, um projeto arquitetônico. Ao mesmo tempo, iniciaram as negociações do terreno da Embrapa, uma área de 89 mil metros quadrados, para a construção do Órion Parque. Após muitas articulações efetivou-se a compra com recursos do Governo do Estado em parceria com a Prefeitura de Lages, sendo o terreno escriturado em março de 2011.

No final do mesmo ano, o Governo do Estado assinou um convênio para repasse de R$ 6,5 milhões, através da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina – FAPESC, para a elaboração do projeto final e a construção do prédio central. A Prefeitura de Lages deu uma contrapartida de R$ 3 milhões. Após alguns ajustes no projeto, as obras iniciaram em 2013 e foram concluídas em 2016.

Banco da Família

Banco da Família

Em 1998, a Associação Empresarial de Lages – ACIL liderou a implantação de uma agência do Banco da Mulher em Lages, com a missão de ser uma alternativa de crédito aos pequenos negócios, formais e informais, de forma simplificada e eficiente – buscando ampliar e melhorar os pequenos negócios de modo que contribuíssem com o desenvolvimento regional.

A partir de 2003, visando a atender as novas exigências e necessidades passou a chamar-se Banco da Família. Assim, deu início a um processo contínuo de expansão, abrindo novas agências em Curitibanos, Caçador, Vacaria e Caxias do Sul e postos de atendimento em São Joaquim, Otacílio Costa, Correia Pinto, Campos Novos, Santa Cecília, Fraiburgo, Herval d'Oeste e Videira.

O Banco da Família é a única instituição do Brasil filiada à rede WWB – Women's World Banking (Rede mundial de apoio e incentivo ao microcrédito).

A presidente da instituição é a ex-presidente da ACIL Isabel Baggio.

Incubadora MIDILages

Incubadora MIDILages

Desde maio de 2005 atuando em Lages e região, o Micro Distrito de Base Tecnológica de Lages - MIDILages é uma incubadora de empresas que tem como objetivo amparar novos negócios para que produtos e serviços de pesquisa da área tecnológica possam alcançar o mercado efetivamente.

Além de apoiar a criação de novas empresas, uma incubadora também desenvolve a capacidade empresarial dos empreendedores e contribui para o desenvolvimento da região em que está inserida.

A MIDILages é um órgão mantido pela Fundação Uniplac e nasceu de uma parceria entre SEBRAE, UNIPLAC, ACIL, Agência de Desenvolvimento e Prefeitura de Lages.

Nova Subestação da Celesc

Nova Subestação da Celesc

Em novembro de 1999, um incêndio destruiu parte da Subestação da Celesc em Lages, deixando cinco municípios do Planalto Serrano sem energia elétrica durante 10 horas. Na ocasião, a ACIL liderou um movimento para exigir da Celesc a implantação de uma nova subestação na cidade.

Construída pela Celesc no Distrito Industrial de Lages, a nova unidade custou R$ 4,6 milhões e passou a atender cerca de 200 mil habitantes dos municípios de Lages, Correia Pinto, São Jose do Cerrito, Urupema, Otacílio Costa, Ponte Alta, Bocaina do Sul e Campo Belo do Sul.

Os investimentos no empreendimento abrangeram também a integração da unidade de Lages à rede de subestações automatizadas do centro de operações, em Florianópolis.

Usina de Biomassa

Usina de Biomassa

A usina de biomassa - Unidade de Co-geração - da Tractebel, em Lages, é a primeira usina de energia elétrica de Santa Catarina a utilizar a queima de resíduos de madeira como combustível. A unidade, uma das maiores do Brasil, é a primeira planta de biomassa da Tractebel Energia. O custo total da usina foi de R$ 80 milhões, com financiamento de R$ 49 milhões por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

A usina tem capacidade para produzir até 28 megawatts de energia, que é vendida para a CELESC, e atende a necessidade de vapor para secagem de madeira das indústrias da região. A usina opera a partir de resíduos de madeira, como cavaco e casca, e além de gerar energia resolve um problema ambiental, já que recebem cerca de 400 toneladas por ano de resíduos, que representam risco de incêndio e poderiam provocar a poluição do ar pela emissão do gás carbono.

Ageserra

Ageserra

A Agência de Desenvolvimento da Serra Catarinense – AGESERRA foi criada dentro da ACIL em janeiro de 2002, para dar suporte técnico e operacional ao Plano de Desenvolvimento Tecnológico e Econômico Regional – PDTER.

A AGESERRA é uma organização que executa projetos através de convênios e de doações de recursos físicos, humanos e financeiros, ou prestação de serviços intermediários de apoio a outras organizações sem fins lucrativos e a órgãos do setor público, para o desenvolvimento regional.

 

 

 

Instituto Federal de Santa Catarina – IFSC - Campus Lages

Instituto Federal de Santa Catarina – IFSC - Campus Lages

O Instituto Federal de Santa Catarina- Campus Lages está localizado em um terreno de 102 mil m², cedido pela Embrapa ao IFSC, no bairro São Francisco.

Em 2007, quando o Ministério da Educação divulgou a lista das contrapartidas oferecidas pelos municípios catarinenses que estavam dispostos a receber um campus do IFSC, o município de Lages destacou-se em primeiro lugar na lista, devido aos incentivos oferecidos tanto pela prefeitura quanto por empresas da região que tinham o interesse em qualificar a população.

A ACIL conseguiu recursos com empresas e com a comunidade para a doação de um veículo zero quilômetro e sediou os primeiros meses de funcionamento da unidade em sua sede.

Um dos principais facilitadores para a instalação do campus no município foi a constituição da Comissão Pró-CEFET, formada por entidades políticas e empresariais da cidade, que tinha por objetivo auxiliar na mobilização da população. A comissão também ajudou na organização da audiência pública, realizada em novembro de 2007, que ajudou a definir os cursos profissionalizantes oferecidos pelo campus.

Em fevereiro de 2011, o campus realizou a aula inaugural para seus primeiros cursos técnicos – Agroecologia e Biotecnologia, da qual participaram alunos, familiares e empresários da cidade.

Nova Unidade do SENAI em Lages

Nova Unidade do SENAI em Lages

A ACIL, juntamente com outras entidades, liderou o processo para a implantação de uma nova unidade do SENAI em Lages.

Com um investimento de R$ 3,6 milhões para construção da nova estrutura física, o SENAI inaugurou em 25 de novembro de 2005, sua nova sede, localizada na Rua Archilau Batista do Amaral, no bairro Universitário.

O SENAI é fundamental na qualificação e preparo da mão de obra para a indústria, e para melhor atender essa demanda, em 2013 ampliou sua unidade em Lages. Com a ampliação, a capacidade de atendimento do SENAI na Serra Catarinense passa a ser de 2,6 mil alunos por período.

Conclusão da BR 282

Conclusão da BR 282

No final de 2008, o Governo Federal concluiu a pavimentação do trecho de 70 quilômetros da BR 282, entre São José do Cerrito e Campos Novos, um investimento de mais de R$ 100 milhões. Com a conclusão da rodovia, o trecho de Lages para o Oeste ficou mais curto e rápido de ser percorrido.

A ACIL e as entidades tiveram papel decisivo neste processo. E outra figura importantíssima foi o Procurador da República em Lages, Dr. Nazareno Jorgealem Wolff, que conseguiu desentravar a imensa burocracia, uma vez que as referidas obras estavam embargadas havia mais de três anos por superfaturamento em governos anteriores.

Pavimentação de Outras Rodovias

Pavimentação de Outras Rodovias

A ACIL se emprenhou para que outras rodovias da região também fossem pavimentadas. Entre elas a rodovia que liga Campo Belo do Sul a Anita Garibaldi, um trecho de 50 quilômetros que foi inaugurado no dia 17 de setembro de 2004, com investimento de R$ 36,4 milhões, sendo 50% dos recursos do Governo do Estado e 50% do BID. Em setembro do mesmo ano também foi inaugurada a Rodovia do Vime, que liga o município de Rio Rufino a BR 282, com extensão de 17,2 quilômetros e um investimento de R$ 10,8 milhões.

Outros importantes trechos foram pavimentados na região, como a rodovia que liga Painel a Urupema, a rodovia que liga a SC 438 em São Joaquim a Urubici e a rodovia que liga Anita Garibaldi a Usina Hidrelétrica da Barra Grande, esta uma parceria entre a BAESA e o Governo do Estado.